DENSITOMETRIA ÓSSEA

 

As densitometrias ósseas (DO) são realizadas e analisadas de acordo com as mais recentes recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das sociedades especializadas:(ABRASSO) e (ISCD).

 

As avaliações da coluna lombar e do fêmur proximal são necessárias para o diagnóstico densitométrico. A avaliação do rádio do antebraço não dominante está indicada quando:

a) não for possível avaliar uma das regiões diagnósticas;

b) o paciente tiver hiperparatireoidismos (excesso de hormônio das paratireoides);                

c) se pesar mais que o suportado pelo equipamento.

 

Este exame é rápido, menos de 10 minutos, não requer preparo especial, pode ser feito a qualquer hora do dia. Recomenda-se a não ingestão de comprimidos de cálcio no dia, antes do exame. Pode ser realizado em qualquer idade, só não é realizado em mulheres grávidas (informe ao técnico se você tiver dúvida sobre esta situação).

 

Para avaliações evolutivas, os exames devem ser feitos no mesmo equipamento. O IDI dispõe dos aparelhos Hologic QDR-5000C e LUNAR iDXA, da GE, avançado equipamento para a realização de densitometria do momento.

 

No LUNAR iDXA da GE, além das opções diagnósticas básicas, o IDI tem várias opções de análises, como a do fêmur bilateral, a  morfometria vertebral, medidas da  resistência óssea femural, da densitometria após próteses femurais e da densitometria para a composição corporal e da gordura visceral.

Densitometria óssea diagnóstica e evolutiva

Densitometria óssea do corpo total infantil e adulto

Densitometria para avaliação da composição corporal 

 

  • Densitometria óssea diagnóstica e evolutiva

    Densitometria óssea diagnóstica e evolutiva

  • Densitometria para avaliação da composição corporal

    Densitometria para avaliação da composição corporal

  • Densitometria óssea do corpo total infantil e adulto

    Densitometria óssea do corpo total infantil e adulto