PET/CT SCAN

O PET/CT Scan é a fusão de 2 equipamentos já existentes em apenas um que trabalham simultaneamente. O PET utiliza tecnologia / recursos previamente conhecidos da Medinica Nuclear  ( PET-Positron Emission Tomography ) e o CT já é utilizado a muito tempo na prática diária na Medicina Atual ( CT – Computer Tomography ).  Tanto o PET quanto o CT tem as suas aplicações já bem conhecidas, mas com limitações  tanto anatomicas quanto funcionais, respectivamente. No inicio deste século, os fabricantes de equipamenteos resolveram unir as 2 tecnologias em uma só e de forma simultanea através de aquisições de imagens anatômicas ( CT ) quantos funcionais ( PET ), em momentos consecutivos e no mesmo posicionamento do paciente, permitindo assim a fusão adequada das imagens, permitindo assim evidencia tumores hipermetabólicos e sua localização anatômica real, para futuros tratamento. Desta maneira, conseguimos identificar lesões que antes eram consideradas com sem significado patológico e agora são vistas como hipermetabólicas e origem cancerigena devido ao seu metabolismo glicolítico. Esta mudança de diagnóstico causou e vem causando um grande impacto na conduta e seguimento dos pacientes, pois antes estavam sendo considerados curados e agora identificamos doença metabolicamente ativa que ainda requer mais tratamento.

Imaginem o impacto desta mudança na Medicina atual, em especial na Radiologia, Medicina Nuclear, Oncologia, Cardiologia e Neurologia.

Basicamente o exame de PET/CT pode ser realizado de formas formas diferentes: PET/CT Oncológico, Neurológico e Cardiológico, sendo que cada um possue suas individualidades e diagnósticos possiveis. Veja mais informações, quando escolher no menu um destes exames.

O mais conhecido e utilizado é o PET/CT Oncológico que pode atuam no diagnóstico e acompanhamento de vários tumores, sendo já reconhecido pelo Medicare Americano desde 2005, como indicações precisas para este método os seguintes tumores: Carcinoma Broncogênico ( exceto de pequenas células ), Linfomas, melanoma, Câncer de Esôfago e Cólon, Canceres de cabeça e pescoço, Mama ( estadiamento e acompanhamento ), Tireóide Indiferenciados ( Iodo negativo, tireoglobulina positivos ). Os demais tumores e locais vem sendo estudados exaustivamente e demonstrador que o exame de PET/CT tem grande aplicação no acompanhamento evolutivo do tratamento. Até o momento, já é sabido que para o Câncer de Próstata em fase inicial o PET/CT tem pouca utilidade e deve ser usado apenas em casos de exceção e nas dúvidas de recidivas.

O exame consiste basicamente na realização de uma dieta sem carboidratos no dia anterior num perído de 24 horas e sem exercícios físicos. No dia do exame o paciente recebe uma pequena dose de glicose radioativa ( ainda proveniente de São Paulo – IPEN – Instituto de Pesquisa em Energia Nuclear ) e o mesmo permanece em repouso por 1 hora, para depois em seguida ser colocado no equipamento de PET/CT para a realização da aquisição de imagens tomográficas através de tecnologia Multislice e logo em seguida inicia-se a aquisição de imagens metabólicas do PET. O tempo médio de exame oncológico é de 30 a 35 minutos e o Neurológico de apenas 15 a 20 minutos. Após a aquisição das imagens o paciente é liberado.

Esta nova tecnologia é a que mais cresce no Mundo em termos diagnósticos devido a seu grande impacto no direcionamento da conduta terapêutica.